3%: Uma Série Original Netflix


Finalmente a série 3% conseguiu sair do papel e com grande estilo pela nossa querida e causadora de procrastinação, Netflix!



Não é de hoje que falamos da distopia brasileira (veja nossas expectativas aqui). A primeira versão, que foi ao ar no youtube lá em 2011, fez com que acompanhássemos a luta em busca de apoio dos idealizadores do projeto, mas na época, não houve muito interesse por parte da nossa mídia novelesca.

Ah, o tempo!

Em 2011, quando a websérie nos foi apresentada, distopias eram febre em todos os tipos de mídia. Jogos Vorazes (Suzanne Collins), Divergente (Veronica Roth) e a Série "Anomalos" da brasileira Barbara Morais, nos davam narrativas que envolvem adolescentes em futuros cruéis onde precisam lutar para se encaixarem.


Muitos acharam o tema datado – embora ele fale sobre o futuro, vá entender! Mas a abordagem não poderia ser melhor, visto que estamos no Brasil! Todo o contexto envolvendo meritocracia e desigualdade estão em voga na atualidade. O que realmente quebra com estes ideais, é a parte técnica da produção.

Algumas atuações são forçadas e os figurinos deixam a desejar, chegando até a nos entregar personagem sujos de graxa de forma nada aleatória. Algumas das tecnologias empregadas são interessantes, mas mal executadas.

O tom cinza à la Snyder da websérie é descartado, o que eu achei uma pena. A nova abordagem em tons claros não conseguiu transmitir bem o peso do processo. Mas nem todas as mudanças foram ruins. Na versão de 2011, os agentes do processo eram militares austeros e clichês, robóticos. Na nova roupagem somos apresentados a equipe de Ezequiel (Paulo Miguel) e todo um plot para explicar suas motivações.


Agora somos apresentados a mais participantes, estes interpretados por Bianca Comparato (Michelle), Michel Gomes (Fernando),  Vaneza Oliveira (Joana), Rodolfo Valente (Rafael) e Rafael Lozano (Marco). Alguns funcionam, outros não.

Joana (Vaneza Oliveira) é quem realmente rouba a cena, sendo a personagem com melhor construção ao longo da série. O Rafael (Rodolfo Valente) tem seus momentos e ainda há o desnecessário romance entre Michelle (Bianca Comparato ) e Fernando (Michel Gomes).

FUTURO

Embora com todo o peso de ser a primeira série brasileira do Netflix, 3% dividiu opiniões. Mas muitas críticas de blogs e sites de entretenimento do Brasil, demonizaram a série, apontando apenas os pontos negativos.

Mesmo assim, atualmente a série possui 7,7/10 no IMDB e 80%no Rotten Tomatoes. Dentro da plataforma do Netflix, ela mantem incríveis 5 estrelas e logo, logo teremos uma segunda temporada para conhecer o Maralto e o destino daqueles que  “merecem”!

1 Temporada
09 episódios
Classificação: 16

0 comentários:

Postar um comentário